Pages

domingo, novembro 27, 2011

claro-escuro


há dias em que sinto que meu altar precisa ficar sem luz, as velas que vira-e-mexe tenho por lá, ao findar, não reponho.
eu sei que há muitas crenças aonde a luz deve sempre estar ali, ardendo, iluminando, e claro que eu amo velas, lidar com elas, fazer bruxaria com elas.

mas é assim, eu sinto que o altar pede por alguns dias escuridão, não é acaso que isso se faça sentir no período da Lua Negra.

o limpo, arrumo, e deixo assim. então um dia sem plano algum, ele me diz, me faz sentir, que é tempo da luz novamente.
pode ser que isto seja apenas coisa minha.
pode ser que isto estranhe a muitos, mas eu pauto muita coisa, muito do que faço no âmbito da minha vida espiritual nisso: no que as coisas me fazem sentir, me fazem saber.

eu sinto por outro lado, que minha fé anda sussurrando algo: sistematize... e entendi e entendo que quiçá se refira a começar, iniciar uma prática mais frequente, ou a erigir meu lararium, um altar para Vesta, um nicho dedicado aos meus Deuses Celtíberos... pode ser que seja isso.

hoje é tempo do altar ficar em descanso, descansar da luz.

sempre grata,

luciana onofre

3 comentários:

  1. vemos, e fico tão profundamente comovida ao ver que estamos tão sincronizadas uma com a outra meu amor!!!!

    ResponderExcluir
  2. Achava que esse sentir era só comigo, afinal de contas, tem dias que não quero acender meu altar, mesmo que seja momento de celebração e noutros, o acendo sem data específica, só pelo prazer de iluminá-lo e ritualizar ao acaso. Mas já passei um tempo sem ao menos acender uma velinha sequer, não me dava inspiração e via que meu altar tb não pedia por iluminação, creio que preferia ficar quietinho como as vezes gosto de tb ficar.

    ResponderExcluir

Deixe suas palavras



Textos e imagens aqui elencadas e publicadas refletem minha crença, minhas opiniões. Assim peço sejam respeitados como tal. Lembremos que incorrer em desrespeito público para com assuntos desta índole pode derivar em ações legais.

Luciana Onofre

Share |

)O(

“La Diosa que hay en mi, contempla a la Diosa que hay en ti”